segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Critica ao serviço público do Estado e do Brasil

    A Semana que começa aponta para novas mobilizações no estado. Para além dos servidores dos correios já em greve a duas semanas em Ijuí, também bancários acenam com paralisação das atividades para esta semana, caso suas reivindicações salariais  e cláusulas de trabalho não sejam atendidas pelo sindicato dos patrões. E as paralisações  ou sinalização de paralisações por melhores salários não param por ai. 
    A Policia Civil Gaucha não descarta greve, policiais militares protestam com queima de pneus nas rodovias gauchas há dias, e mesmo com a sinalização de reajustes do Governo Estadual os protestos não cessam. É uma semana que começa não com noticias novas no que tange a paralisações, mas com a sequência, como se fosse um efeito cascata, de uma espécie de acordo entre servidores concursados. Sim, pois se fossem trabalhadores como nós celetistas, certamente não fariam tais mobilizações. Não se trata de criticar, até acho algumas mobilizações legitimas. 
     Servidores públicos, fica claro, são classe unida, mas mera e simplesmente unida pela estabilidade. Haja o que houver,  a estabilidade do trabalho, faz com que tenham postura de “cruza braços” quando seus pedidos não são atendidos. Os funcionários públicos não se preocupam com atendimento ao povo, não se preocupam com relógio ponto, não se preocupam com a otimização das atividades para melhorar a prestação de serviços. “Funcionário público não se preocupa”. Mobilizam-se para paralisar quando não tem o que querem. Enquanto isso trabalhadores com carteira assinada, cumprem seus horários em muitos casos dobrados, com salários pífios e reajustes vergonhosos.
    A política salarial do Brasil não premia apenas a quem tem colarinho branco. Também premia a quem estufa o peito e diz, sou concursado como faz referencia novela das sete na TV Brasileira onde os jargões, “sou concursado, sou nomeado” soam como uma critica ao mau uso dos cargos público no Brasil, onde a disputa existe para saber quem fará “menos” durante a jornada de trabalho. 
    Será que se nós trabalhadores do comercio, industria, e serviços, com carteira assinada  pararmos reivindicando melhores salários, teremos nossos empregos garantidos como está previsto na legislação que permeia o serviço público neste país????
     É só um desabafo, por favor não interpretem como critica dirigida a pessoas. Essa é uma critica dirigida ao sistema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário